Comentário de Conjuntura: Semana de decisão sobre os juros

[et_pb_section admin_label="section"][et_pb_row admin_label="row"][et_pb_column type="4_4"][et_pb_text admin_label="Texto" background_layout="light" text_orientation="justified" text_font="Verdana||||" text_font_size="18" use_border_color="off" border_color="#ffffff" border_style="solid"]

A semana é marcada pela decisão do Comitê de Política Monetária (COPOM) na quarta-feira, 21/03. A expectativa do mercado é que haja um novo corte de 25 pontos-base no juro básico, levando-o para 6,5% a.a. Isso tanto porque o PIB do quarto trimestre veio aquém do esperado, como o cenário para a inflação continua bastante comportado. As leituras de janeiro e fevereiro da inflação medida pelo IPCA, períodos de sazonalidade desfavorável, se mostraram surpreendentemente baixas. Ademais, o solavanco do início do ano no cenário externo não parece ter aberto um período de instabilidade mais acentuado - a despeito, diga-se, de um ou outro pico de volatilidade, como o de hoje, causado pela queda nas ações do Facebook. Tudo isso posto indica como cenário provável mais uma queda do juro básico, o que confirma a política monetária em posição mais expansionista.

Para além do COPOM, a semana tem a divulgação do IBC-BR, feita hoje pela manhã, e do IPCA-15 na sexta-feira. O Índice de Nível de Atividade do Banco Central (IBC-BR) teve uma queda de 0,56% entre dezembro e janeiro, após quatro leituras positivas nessa métrica. Na comparação interanual, houve avanço de 2,97% contra janeiro de 2017 e no acumulado em doze meses o índice acumula alta de 1,20%.

Preparamos, a propósito, uma apresentação usando o R para o índice, que pode ser baixada aqui. Membros do Clube do Código têm acesso a todo o código necessário para gerar essa apresentação.

[/et_pb_text][et_pb_image admin_label="Imagem" src="https://analisemacro.com.br/wp-content/uploads/2017/11/cursosaplicados.png" show_in_lightbox="off" url="https://analisemacro.com.br/cursos-de-r/" url_new_window="off" use_overlay="off" animation="off" sticky="off" align="left" force_fullwidth="off" always_center_on_mobile="on" use_border_color="off" border_color="#ffffff" border_style="solid" /][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Print

Comente o que achou desse artigo

Outros artigos relacionados

Como usar o Google AI Studio e o Gemini?

Na corrida da IA, novas ferramentas e modelos são lançados quase que diariamente. Neste artigo mostramos como o Google tem competido neste mercado através do AI Studio e do Gemini e damos um exemplo de integração em Python.

Analisando a ancoragem das expectativas de inflação no Python

Se expectativas de inflação ancoradas com a meta são importantes para a economia, analisar o grau de ancoragem é imperativo para economistas e analistas de mercado. Neste exercício mostramos uma forma de aplicar esta análise com uma metodologia desenvolvida pelo FMI. Desde a coleta dos dados, passando pelo modelo e pela visualização de dados, mostramos como analisar a política monetária usando o Python.

Como analisar a DRE de empresas de capital aberto usando o Python

Quando analisamos a demonstração de resultados de uma empresa listada na bolsa de valores, frequentemente recorremos a ferramentas convencionais, que embora sejam úteis, muitas vezes carecem de automação. É aqui que entra o Python. Neste post, exploramos o poder do Python para automatizar o processo de coleta, tratamento e análise dos dados da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) da Eletrobras, utilizando dados fornecidos pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

como podemos ajudar?

Preencha os seus dados abaixo e fale conosco no WhatsApp

Boletim AM

Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins semanais diretamente em seu e-mail.