Clube AMMercado de Trabalho

Taxa de desemprego: PNAD Contínua vs. PME

By 4 de novembro de 2016 No Comments

Um dos grandes problemas para quem precisa trabalhar com taxa de desemprego no Brasil é o fato de que a falecida Pesquisa Mensal do Emprego (PME) é completamente diferente da atual PNAD Contínua, disponível desde março de 2012. Desse modo, toda vez que você quiser trabalhar com essa nova série de desemprego, enfrentará um problema: ela é curta demais. De modo a atenuar esse problema, fizemos um exercício no Clube do Código, para aproximar a taxa de desemprego da PNAD Contínua por meio da PME, expandindo assim a série original. Abaixo, o leitor vê um resumo do exercício.

grafico01

Acima é possível verificar as duas taxas de desemprego. Claramente, observa-se que a média do desemprego medido pela PNAD Contínua é mais elevada do que a da PME. De posse dessas duas séries, nós podemos aproximar a taxa de desemprego da PNAD Contínua pela taxa da PME, através de uma regressão linear simples. O gráfico abaixo compara a taxa original com aquela ajustada pelo modelo.

grafico02

Com base nesse modelo, então, expandimos a taxa de desemprego medida pela PNAD Contínua. A série ampliada pode ser vista abaixo.

grafico03

Abaixo, por fim, dessazonalizamos a série que acabamos de gerar.

grafico04

Temos agora duas séries, uma normal e outra dessazonalizada, que podemos utilizar em exercícios futuros. Observe, entretanto, que a mesma é apenas uma aproximação estatística da PNAD Contínua através da PME, ok? Até o próximo exercício!

Receba diretamente em seu e-mail gratuitamente nossas promoções especiais
e conteúdos exclusivos sobre Análise de Dados!

Assinar Gratuitamente