Fiz hoje uma apresentação sobre possíveis cenários para o Brasil no pós-2018 na Escola de Administração e Negócios da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. A ideia era mostrar que um crescimento sustentável nos próximos anos só será possível se o sistema político brasileiro se comprometer com uma agenda reformista mínima. Para isso, fiz um passeio pela teoria macroeconômica, pelos desenvolvimentos da economia brasileira após o plano Real, com especial ênfase para o interregno desenvolvimentista do período pós Palocci até o impeachment da ex-presidente Dilma; uma volta ao nacional-desenvolvimentismo das décadas de 60 e 70 do século passado, que causou uma das maiores recessões da História do Brasil. A retomada em curso, por suposto, só está sendo possível por um comprometimento mínimo, ainda que instável, com a agenda reformista que vigorou no país do final do governo Sarney até o primeiro governo Lula. Para acessar os slides, clique na figura ao lado! Os códigos da mesma estarão disponíveis amanhã para os membros do Clube do Código.

Comments