Artigos de Economia

Para que servem e como se formam os economistas sérios?

By 20 de março de 2017 No Comments

Sempre me perguntam qual seria a grade ideal para o curso de economia. Acho que cada economista, estudante ou professor vai ter a sua. A minha tem o objetivo de formar o que eu chamo de economista sério. É uma espécie de antítese ao que alguns colegas e professores que admiro chamam de economista alternativo. E vou procurar explicar nesse post o porquê, mostrando a ementa que considero a mais ideal para formar esse tal economista sério. Vamos lá?

Antes de mais nada, é preciso dizer que economia, em qualquer lugar do mundo, é uma disciplina menor, que procura entender e resolver problemas econômicos. Para isso, o economista constrói e estima modelos. Então, o dia a dia do economista é ler papers, para entender a literatura sobre um determinado assunto, construir ou pegar emprestado algum modelo teórico e estimá-lo empiricamente.

Economista não é, nesse contexto, filósofo, que fica divagando sobre os problemas do mundo. Não. Economia, por si só, já é um baita problema difícil. Sejam os problemas macro, sejam os problemas micro. Por isso, é preciso se concentrar em aprender teoria e instrumental para lidar com eles.

Para fazer isso hoje em dia, você vai precisar de um curso de linguagem de programação voltada para data analysis, como o R ou o Python. Esse curso vai te ajudar a lidar com dados. Vai precisar de uns quatro cursos de teoria macroeconômica e outros quatro cursos de teoria microeconômica. Mais dois cursos de Cálculo, um curso de Equações Diferenciais, um de Álgebra Linear, dois de Estatística e três de econometria. Pronto, está formado o que o mundo entende quando a palavra economista é pronunciada.

Será sempre possível acrescentar a esses cursos obrigatórios alguns optativos, em finanças, em econometria, macro, micro, história do pensamento econômico, história econômica, etc. Mas eu - opinião pessoal - acho um equívoco não ter aquela sequência de cursos antes de qualquer coisa. Saber lidar com dados é algo essencial hoje em dia e um economista que não sabe fazer isso não pode ter o título de economista. Ele vira um economista alternativo e deixa de ser um economista sério. 

Acho que é isso. Se você discordar de mim (o que provavelmente vai acontecer), deixe seu comentário aí...

Update: Diante da clara distância entre essa "grade ideal" e as grades existentes por aí, será que vale a pena cursar economia? Ver outro texto meu sobre o assunto em: Sobre evidências e heterodoxia: vale a pena fazer economia no Brasil?

Comments

Cadastre-se na newsletter
e receba nossas novidades em primeira mão!