Núcleos de Inflação seguem bem comportados

O IBGE divulgou hoje pela manhã a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A taxa ficou em 1,15% em dezembro, influenciada pelo choque de proteínas. No acumulado em 12 meses, a inflação fechou 2019 em 4,31%, levemente acima da meta de inflação, que era de 4,25%. Na ocorrência de choques exógenos, é importante olhar os núcleos de inflação. É o que mostro nesse post.

A ideia de um núcleo é capturar a tendência da inflação ao longo do tempo, retirando assim variações idiossincráticas. Em outros palavras, busca capturar a persistência do aumento de preços ao longo do tempo. Considere, por exemplo, que o preço de um bem/serviço {i} varie de acordo com a equação \pi_{i,t} = \pi_t + \mu_{i,t}, onde \pi_t representa uma tendência e \mu_{i,t} uma idiossincracia. Desse modo, para {n} bens/serviços, o núcleo será dado por:

(1)   \begin{align*} \pi_t^{nucleo} = \sum_{i=1}^{n} \omega_{i}\pi_{i,t} - \sum_{i=1}^{n} \omega_{i}\mu_{i,t} \end{align*}

Em outras palavras, o objetivo do núcleo é reconhecer e retirar a parte idissiocrática, \sum_{i=1}^{n} \omega_{i}\mu_{i,t}, concentrando-se na verdadeira tendência da variação dos preços ao longo do tempo. Não à toa, Bancos Centrais de todo o mundo procuram construir e acompanhar medidas de núcleo de inflação. No Brasil, em particular, temos atualmente sete medidas de núcleo. Ilustro abaixo o comportamento da média desses núcleos e a inflação cheia.

Como é possível verificar, a despeito da aceleração na inflação cheia, os núcleos de inflação seguem bem comportados. A média dos sete núcleos fechou 2019 em 3,10%, no limite inferior da meta. Na ocorrência de choques de oferta, cabe ao Banco Central garantir que não haja efeitos secundários, isto é, que o choque não contamine os demais preços da economia. Até aqui, não há evidências de que isso esteja ocorrendo.

________________

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Print

Comente o que achou desse artigo

Outros artigos relacionados

A gramática dos gráficos: como deixar de criar gráficos no Excel e usar o plotnine no Python

A etapa de visualização de dados refere-se a uma parte fundamental da análise de dados, pois permite não somente compreender os dados que estamos analisando, mas como também é uma ferramenta útil para explanar os resultados encontrados. Mas qual a forma mais fácil de construir um gráfico, como podemos melhorar a produtividade nesta tarefa? É onde podemos aplicar a gramática dos gráficos e construir com a biblioteca plotnine no Python.

O que são APIs e como utilizá-las no Python?

Utilizar APIs para coletar dados online pode acelerar e automatizar significativamente o processo de análise de dados. Diversas bases de dados hoje em dia possuem APIs para livre utilização, como Banco Central, Portal de Dados Abertos, IBGE e outras. Neste artigo, explicamos intuitivamente o que são APIs, como funcionam e mostramos um exemplo em Python de utilização.

Como fazer web scraping no Python? Um tutorial para largar o Excel

Programar robôs para coletar informações online que não estão estruturadas ou disponíveis facilmente parece algo futurista, mas é uma vantagem competitiva de quem utiliza Python para analisar dados e automatizar processos. Neste artigo, apresentamos o que é a técnica web scraping, suas vantagens/desvantagens e como aplicar ela com o Python em um exemplo prático, do início ao fim.

como podemos ajudar?

Preencha os seus dados abaixo e fale conosco no WhatsApp

Boletim AM

Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins semanais diretamente em seu e-mail.