Mercado de Trabalho

Análise dos dados do CAGED com o R

By 18 de março de 2017 No Comments

Os dados do CAGED de fevereiro, divulgados pelo próprio presidente Michel Temer na última quinta-feira, se somam aos demais indicadores de que existe, de fato, uma recuperação em curso. Ainda que incipiente e tímida, já é possível dizer que a economia brasileira está deixando o pior da recessão para trás. Membros do Clube do Código receberão apresentação completa com análise dos dados do CAGED. Abaixo, fazemos um resumo desses dados.

O dado de fevereiro, um saldo positivo após 22 meses de valores negativos, em si, não deve ser tão comemorado assim. Isso porque, feito o ajuste sazonal, ele ainda é negativo. Mas, como mostra o gráfico acima, o valor na margem deve ser sempre complementado com alguma análise de tendência do que esteja ocorrendo no mercado de trabalho. Por essa abordagem, por suposto, o que podemos perceber é que de fato existe uma melhora em curso. Abaixo suavizamos o dado na margem com uma média móvel de três meses.

E abaixo ampliamos o horizonte de comparação com a média móvel anual.

Por essa métrica, por suposto, dá para visualizar o tamanho do estrago no mercado de trabalho. Na ponta, entretanto, os dados mostram que existe uma melhora em curso. Ainda, claro, que o dado continue sendo negativo, o importante é que a derivada mudou de sinal. Para complementar essa análise, plotamos abaixo a razão entre salários de admitidos e demitidos. Tipicamente, em períodos de piora no mercado de trabalho, essa razão cai, melhorando à medida que a ociosidade diminui.

A despeito de muitas perturbações, o que o dado diz é que parece estar ocorrendo uma estabilização. À medida que a recuperação avance, devemos ver um aumento dessa razão. Em outros termos, os salários médios dos admitidos passam a compor uma parcela maior dos salários dos demitidos. Isso indicará a consolidação da retomada.

Importante ressaltar, por fim, que ainda estamos em uma situação crítica no mercado de trabalho. A taxa de desemprego ainda deve ficar alta ao longo do ano. Uma reversão deve ficar mesmo para o segundo semestre. Mas há sinais de que existe uma recuperação em curso. E sim, diante do caos em que estávamos mergulhados há um ano atrás, isso é uma grande notícia. 🙂

 

Receba diretamente em seu e-mail gratuitamente nossas promoções especiais
e conteúdos exclusivos sobre Análise de Dados!

Assinar Gratuitamente