A culpa é da crise internacional, mesmo?

Ao divulgar o crescimento do PIB de 2012 na semana passada, o ministro da Fazenda colocou o pífio resultado de 0,9% [frente 2011] basicamente na conta da crise internacional. Mas para o leitor atento, isso beira à esquizofrenia, por basicamente um único motivo: a economia brasileira não é lá muito "aberta" em relação ao resto do mundo. Em outros termos, o comércio internacional não é, em termos relativos, um componente importante para a economia brasileira. O nosso coeficiente de abertura, obtido pela média simples entre exportações e importações dividido pelo PIB, não ultrapassou os 14% no último trimestre do ano passado. No gráfico ao lado é possível verificar que ao longo da primeira década do século XXI esse número se manteve em um intervalo bastante tímido.

Se isso não bastasse, leitor, some mais um dado do outro lado do balanço de pagamentos. Na série histórica desde 1947, o ano de 2012 só perde para o ano anterior em termos de maior volume de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto líquido (IED). O montante líquido que entrou no país, US$ 65,2 bilhões, não só foi suficiente para financiar o déficit em transações correntes, como ainda sobrou um "troco" de mais de US$ 10 bilhões. E assim, pergunto: que crise é essa pela qual o ministro está culpando o baixo crescimento brasileiro? Ele deveria olhar para os fatores domésticos, como 10 em cada 10 economistas sérios estão olhando nesse exato momento.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Print

Comente o que achou desse artigo

Outros artigos relacionados

Como aplicar Balanceamento por Entropia no R?

Nesta postagem, apresentamos uma introdução ao Balanceamento por Entropia, comparando este método com a técnica de pareamento e demonstrando os resultados obtidos com a implementação do código em R.

Análise de Elasticidade Preço com Python

“Se eu aumentar o preço, o que vai acontecer com as vendas?” Uma forma de responder este tipo de pergunta é através de ferramentas analíticas de microeconomia, como a análise de elasticidade. Neste artigo, mostramos um exemplo prático utilizando dados reais com o Python.

Calculando o impulso de crédito no Python

Qual é o papel do crédito no crescimento da economia? Para analisar esta questão, calculamos o indicador de impulso de crédito para a economia brasileira e comparamos com o nível da atividade econômica usando o Python.

como podemos ajudar?

Preencha os seus dados abaixo e fale conosco no WhatsApp

Boletim AM

Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins semanais diretamente em seu e-mail.