Programas de governo na GloboNews

Foi ao ar ontem a primeira edição do "Programas de Governo", da Globonews, com representantes das três principais candidaturas à presidência da República em 2015-18. Nessa oportunidade participaram os economistas Mansueto de Almeida, Eduardo Giannetti e Márcio Holland, representando, respectivamente, o PSDB, PSB e PT. Foi interessante sobretudo para ver qual seria a postura do representante do governo, Márcio Holland, diante dos tantos problemas macroeconômicos que temos visto nos últimos anos, dado que já se esperava uma visão crítica dos outros dois.

Holland se limitou, nesse sentido, a defender a política econômica e dizer que a culpa do baixo crescimento era da crise internacional. Nada a falar, como já se esperava, sobre contabilidade criativa, controle de preços, subsídios do BNDES, intervenção no mercado de energia elétrica e as consequências sobre a indústria, problemas no marco regulatório da infraestrutura, falta de autonomia do banco central, dentre tantos outros temas que atormentam qualquer economista. Em outras palavras, na eventualidade de vitória da candidatura petista, continuará tudo como dantes, algo que apenas confirma os inúmeros sinais emitidos nessa direção pela equipe econômica e, claro, pela presidente. Essa perspectiva é simplesmente assustadora, diante dos inúmeros problemas que foram criados na macroeconomia nos últimos anos.

Para além disso, eu achei que a discussão não foi muito bem conduzida. Preferiria ver, por exemplo, a jornalista Miriam Leitão na mediação do debate. A Mônica, apesar de ser excelente profissional, não conseguiu dar o tom das perguntas, gerando alguma discussão mais produtiva, isto é, na direção da proposição de ideias entre os presentes para o mandato que se iniciará ano que vem. Muito em função dela não ser especialista na cobertura econômica. Desse modo, ficamos sabendo, pelo programa, muito pouco sobre como os candidatos pretendem, por exemplo, controlar a inflação ou melhorar o ambiente de negócios. Quais reformas são as prioritárias ou se são, de fato, necessárias? Como alcançar consenso para aprová-las no Congresso? Qual a profundidade do ajuste fiscal no ano que vem? Como as tarifas represadas serão liberalizadas? De forma gradual ou de uma vez? Para um programa sobre economia, essas questões eram cruciais e precisavam de uma (ou um) jornalista especializada(0) no assunto. Talvez seja, inclusive, uma sugestão para as próximas discussões.

No campo da oposição, o economista Mansueto de Almeida focou bastante na questão fiscal, tema no qual é um dos maiores especialistas do país. Essa focalização nas finanças públicas, entretanto, custou a ele tratar melhor outras questões, como, por exemplo, os custos de desinflacionar a economia brasileira. Já pude presenciar seu raciocínio rápido sobre temas complexos e bastante técnicos em outras oportunidades e, em particular aprecio sua abordagem, mas acho que isso acabou lhe prejudicando nesse programa. Para esse formato é importante gerar uma crítica mais geral e propor uma solução de forma didática, algo que ele fez poucas vezes em suas incursões, preferindo manter seu perfil técnico, com muitos números e questões bastante específicas, como os subsídios do PRONAF. Para quem não é economista especializado em macroeconomia foi provavelmente muito complicado de acompanhar.

Nesse formato, a propósito, poucos economistas superam Eduardo Giannetti. Ele consegue ser técnico, com críticas duras e específicas à política econômica do governo Dilma, mas didático o suficiente para conquistar um telespectador não-economista. Estava bastante seguro, demonstrando o desastre que foram os últimos anos, bem como os desafios que a economia brasileira tem pela frente. Gostei muito de suas intervenções principalmente porque ele fazia questão de confrontar de forma enérgica as falas do governista Márcio Holland, além de gerar alguma luz sobre o que é necessário fazer a partir do ano que vem.

Para um debate sobre economia, no geral, deixou um gostinho de "quero mais". Não dá para fazer milagres, é claro, em 40-45 minutos, mas espero que tenham sido apenas as primeiras discussões sobre o assunto. Se fosse apontar um vencedor, acho que não restam muitas dúvidas de que a oposição, representada pela dupla Mansueto-Eduardo (que dupla!), deu de goleada (7x1?) no Márcio Holland. No mais, a Globonews está de parabéns pela programação sobre as eleições. Já fez entrevistas com os candidatos, agora propõe um programa especial com representantes das candidaturas e tem gerado discussão ao longo de seus programas e telejornais. Infelizmente, pelo que eu vejo é o único canal que tem se dedicado ao tema de forma intensiva. Oxalá que isso mude ao longo das próximas semanas!

ps: se eu pudesse escolher, gostaria de ver um debate entre o Eduardo, Gustavo Franco (acho que ele não está na campanha, uma pena, mas é claramente defensor do PSDB) e Nelson Barbosa (que também não está na campanha, mas defende o PT). 

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Print

Comente o que achou desse artigo

Outros artigos relacionados

Calculando o impulso de crédito no Python

Qual é o papel do crédito no crescimento da economia? Para analisar esta questão, calculamos o indicador de impulso de crédito para a economia brasileira e comparamos com o nível da atividade econômica usando o Python.

Analisando a Volatilidade de Longo Prazo do Ibovespa usando Python

Com base no modelo GARCH(1,1), realizamos realizar a modelagem da variância condicional dos log retornos diários do Ibovespa, abrangendo o período de janeiro de 2018 até dezembro de 2023. O objetivo principal é compreender a implementação desse modelo utilizando a linguagem de programação Python, além de conduzir uma análise do mercado acionário brasileiro ao longo do período amostral.

Ao concluirmos este exercício, teremos a capacidade de obter uma medida representativa da variância de longo prazo da série temporal. Essa medida poderá ser comparada com a variância histórica, permitindo-nos inferir se a volatilidade presente está atualmente inferior ou superior àquela projetada para o futuro. Essa análise contribuirá para uma melhor compreensão da dinâmica da volatilidade no mercado acionário brasileiro.

Construindo uma NAIRU para o Brasil usando Python

Um dos maiores desafios para aqueles que trabalham com dados econômicos é aliar a prática com a teoria. Para tanto, o uso do Python pode facilitar esse desafio, permitindo construir todos os passos de uma análise de dados. Demonstramos o poder da linguagem tomando como exemplo a construção da NAIRU para o Brasil.

como podemos ajudar?

Preencha os seus dados abaixo e fale conosco no WhatsApp

Boletim AM

Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins semanais diretamente em seu e-mail.