Tag

bndes Archives - Análise Macro

Crédito Livre vs. Crédito Direcionado no Brasil

By | Crédito

O crédito direcionado, aquele que é administrado por bancos públicos e possui subsídios importantes envolvidos na sua intermediação, ainda é bastante relevante no mercado de crédito brasileiro. Para ilustrar, como ensinamos em nosso Curso de Análise de Conjuntura usando o R, vamos coletar os dados referentes a crédito diretamente do Banco Central com o R.

Para isso, nós utilizamos o pacote rbcb, como abaixo.


library(rbcb)
library(tidyverse)
library(zoo)
library(scales)

series = list('livres'= 20542,
'direcionado' = 20593)

data = get_series(series) %>%
reduce(inner_join) %>%
mutate(total = livres + direcionado,
'Crédito Livre' = livres/total*100,
'Crédito Direcionado' = direcionado/total*100) %>%
select(date, 'Crédito Livre', 'Crédito Direcionado') %>%
gather(variavel, valor, -date)

No código acima, nós estamos basicamente pegando os dados do crédito livre, aquele que é intermediado sem subsídios e o crédito direcionado que falamos acima. A partir das séries coletadas, nós podemos criar as taxas de crédito livre e de crédito direcionado a partir do estoque total de crédito. Com efeito, podemos gerar o gráfico abaixo.

A despeito da mudança na estrutura da taxa de juros que regula os empréstimos do BNDES, parte importante do estoque de crédito direcionado, o mesmo ainda responde por mais de 40% do total de crédito no Brasil.

__________________

Qual o tamanho ideal do BNDES?

By | Comentário de Conjuntura

O pedido de demissão de Joaquim Levy do BNDES suscitou uma nova onda de discussões em torno do tamanho ideal do banco no mercado de crédito brasileiro. De forma a dar números à discussão, atualizo abaixo como andas a participação do banco no estoque total de crédito.


library(BETS)
library(ggplot2)
library(forecast)
library(png)
library(grid)
library(gridExtra)

total = BETSget(20539, from='2007-03-01')
bndes_pj = BETSget(20604)
bndes_pf = BETSget(20616)
bndes = bndes_pf+bndes_pj

img = readPNG('logo.png')
g = rasterGrob(img, interpolate=TRUE)

autoplot(bndes/total*100)+
geom_line(size=.8)+
scale_x_discrete(limits=2007:2019)+
labs(x='', y='%',
title='Participação do BNDES no Crédito Total',
caption='Fonte: analisemacro.com.br com dados do BCB')+
theme(panel.background = element_rect(fill='#acc8d4',
colour='#acc8d4'),
plot.background = element_rect(fill='#8abbd0'),
axis.line = element_line(colour='black',
linetype = 'dashed'),
axis.line.x.bottom = element_line(colour='black'),
panel.grid.major = element_blank(),
panel.grid.minor = element_blank(),
legend.position = 'bottom',
legend.background = element_rect((fill='#acc8d4')),
legend.key = element_rect(fill='#acc8d4',
colour='#acc8d4'),
plot.margin=margin(5,5,15,5))+
annotation_custom(g,
xmin=2007.3,
xmax=2009.3,
ymin=18, ymax=22)

E abaixo o gráfico...

Como se pode ver pelo gráfico, a participação do banco no estoque de crédito total tem caído nos últimos anos. Os desembolsos da instituição, por suposto, vêm diminuindo consideravelmente.

É saudável que isso ocorra, diga-se. Um banco de fomento como o BNDES não deve financiar grandes empresas que possuem acesso ao mercado privado e mesmo ao mercado externo. O foco do BNDES deve ser atuar onde claramente o retorno social é maior do que o retorno privado.

Destacaria o financiamento de projetos de inovação realizados em pequenas empresas, o microcrédito e investimentos em saneamento básico. Além disso, dada a expertise acumulada pelo corpo técnico do banco, poderia ser uma peça-chave para destravar o processo de privatização.

O redimensionamento do banco, contudo, não é uma tarefa simples. Dado o gigantismo alcançado pela instituição, sua redução tem impactos consideráveis sobre o próprio mercado de crédito e, com efeito, sobre a economia brasileira. Além disso, há um lobby estabelecido, seja dentro ou fora do banco, que não quer que o jeito de obter crédito mude no país.

Tudo isso dito, é difícil saber ao certo qual o tamanho ideal do BNDES no mercado de crédito. Não existe um número mágico para isso. Certamente, contudo, ele é bem menor do que o atual. E é saudável que continue caindo...

Vamos desestatizar o mercado de crédito?

By | Crédito

O novo ministro da economia, Paulo Guedes, ao tomar posse fez questão de mencionar a atual estrutura do mercado de crédito brasileiro. Guedes falou da necessidade de desestatizar o mercado. E será que faz sentido o que o ministro disse? Para mostrar, assim como fazemos em nossos Cursos Aplicados de R, podemos usar o R para ver o estoque de crédito na mão de instituições estatais e privadas. O código abaixo pega as séries de crédito para essas diferentes classes de instituições com o pacote rbcb.

library(rbcb)
privado <- get_series(2043, start_date = '2000-01-01')
estatal <- get_series(2007, start_date = '2000-01-01')

Uma vez que tenhamos esses dados, criamos um data frame dividindo as mesmas pelo total de estoque de crédito.

dates <- seq(as.Date('2000-01-01'), as.Date('2018-11-01'), by='1 month')

data <- data.frame(privado=privado$`2043`/(estatal$`2007`+privado$`2043`)*100,
                   estatal=estatal$`2007`/(estatal$`2007`+privado$`2043`)*100)

Utilizamos, então, o pacote xts para ordenar o data frame e depois a função melt para empilhar os dados.

library(xts)
library(reshape2)
data <- xts(data, order.by=dates)
data <- data.frame(time = index(data), melt(as.data.frame(data)))

Por fim, usamos o código abaixo para criar um gráfico ggplot.

library(scales)
library(ggplot2)
ggplot(data, aes(x = time, y = value)) + 
  geom_area(aes(colour = variable, fill = variable))+
  xlab('')+ylab('Participação Percentual')+
  labs(title='Crédito Estatal vs. Crédito Privado',
       caption='Fonte: analisemacro.com.br com dados do Banco Central.')+
  theme(legend.position = 'bottom',
        legend.title=element_blank())+
  scale_x_date(breaks = date_breaks("2 years"),
               labels = date_format("%Y"))

E o resultado é esse daí...

O gráfico parece dar razão a fala do novo ministro da economia. Mais da metade do estoque de operações de crédito no país está nas mãos de instituições estatais, sujeitas a incentivos distintos daqueles observados no mercado. Desestatizar o mercado de crédito parece ser, de fato, algo a se fazer, não é mesmo?

________________________________________________

Aprenda a coletar, tratar, analisar e apresentar dados reais em nossos Cursos Aplicados de R!

Qual a participação do BNDES no crédito total?

By | Crédito

O mínimo que se espera em debates econômicos é o uso correto dos dados. Isso dito, para a pergunta qual a participação do BNDES no crédito total não dá para citar a concessão de crédito do banco em um mês e confrontar esse dado com o crédito total concedido no mesmo mês. Ao invés de olhar o fluxo em um mês o correto é investigar o estoque. O código abaixo faz isso.

library(ggplot2)
library(BETS)

cred = window(BETS.get(20539), start=c(2007,03))

bndes.pj = BETS.get(20604)
bndes.pf = BETS.get(20616)
bndes = (bndes.pj+bndes.pf)/cred*100

autoplot(bndes)+
 geom_area(stat='identity', colour='red', fill='red')+
 scale_x_discrete(limits=c(2007:2017))+
 xlab('')+ylab('')+
 labs(title='Participação do BNDES no Crédito Total (%)',
 caption='Fonte: analisemacro.com.br com dados do BCB.')

 

E abaixo o gráfico...

Na ponta, por suposto, a participação do banco no crédito total está em 18,73%.

Receba diretamente em seu e-mail gratuitamente nossas promoções especiais
e conteúdos exclusivos sobre Análise de Dados!

Assinar Gratuitamente